Arquivo da tag: entrevista

Entrevista realizada para o Grupo Coaches em Construção

Segue abaixo um e-mail da leitora e amiga Elza Conte, recém formada em coaching pela SBC. Abraços a você e todos os companheiros que se formaram nesta nova turma. É sempre bom saber que o coaching esta cada dia mais presente em nossas vidas, através de profissionais que se preocupam em conhecer e divulgar. Segue abaixo o conteúdo completo do e-mail:

===============================================

Logo nesta segunda feira, após nossa memorável formatura, pedi ao Douglas algum material sobre Crítico Interno. Ele prontamente me respondeu prometendo escrever sobre o assunto. Em seguida pedi-lhe uma entrevista, ao qual ele prontamente se prontificou a colaborar.

Algumas pessoas mandaram questões, eu fiz um resumo e enviei ao Douglas. Além de responder brilhantemente as questões enviadas, ele escreveu três artigos em seu blog a saber:

Os Sabotadores! Inimigos de nosso Sucesso. (Parte 1)

Os Sabotadores! Inimigos de nosso Sucesso. (Parte 2)

Os Sabotadores! Inimigos de nosso Sucesso. (Parte 3)

Gostaria de novamente expressar o meu profundo agradecimento ao Douglas, como escrevi a ele não foi por acaso, que minha intuição resolveu procura-lo.

A ENTREVISTA

Olá Elza, Sempre é confortavel falar sobre coaching.. rsrs.. Estou enviando as respostas a estas perguntas, depois se possivel, gostaria de conhecer o grupo de vocês. Além disso, gostaria de sua autorização para colocar a entrevista em meu blog, com o link, caso haja, para o grupo de coaching de vocês.

1 – Hoje, após algum tempo de ter feito o curso no SBC, o que vc considera mais importante naquele aprendizado?
R – Esta é uma resposta dificil… No ultimo dia de treinamento, conversando com alguns amigos que fiz por lá, chegamos a conclusão de que naqueles 8 dias, divididos em 2 modulos, o mundo mudou completamente.
Mas para ter uma resposta mais direta, acho que o mais importante durante todo o treinamento, foi descobrir o poder que temos dentro de nós de realizar sonhos, não apenas os nossos sonhos, mas os sonhos das pessoas ao nosso redor. Quando o treinamento começou, no primeiro dia, eu realmente não sabia o que estava fazendo lá, no meio de tanta gente, que na grande maioria tinha o mesmo sentimento, mas no decorrer do treinamento, não só descobri o porque de estar lá, como descobri a importancia de se estar lá, todo o aprendizado, todas as experiencias e principalmente a desmistificação do viver.
Aquele treinamento não me deu uma nova profissão, mas sim uma nova visão da vida. Acho que esta visão é o que de mais importante eu trouxe comigo.

2 – O que você adaptou, incrementou ou modificou das técnicas sugeridas pela SBC?
R – Em todo o sistema de técnicas e ferramentas, não fiz adaptações ou modificações, uso-as como aprendi no treinamento, mas fiz adequações a minha realidade. Incorporei um pouco de tecnologia em alguns elementos. Como exemplo, na Roda da Vida, elaborei um sistema em Excel, que envio para meus clientes a distancia, e que facilita o seu uso. Utilizei também o espaço em meu blog, para difundir um pouco mais esta profissão ainda desconhecida.

3 – Eu tenho dificuldades em linkar uma seção a outra o que posso fazer para facilitar isso?
R – A melhor forma de interligar uma sessão a outra, é seguir o planejamento de sessão mostrado logo no inicio do treinamento (tem um modelo na pagina 153 da primeira apostila) O “to do” e o “feed back” são os principais meios de fazer esta ligação. Sempre determine com o cliente uma ação ou tarefa que ele deve executar durante a pausa entre as sessões, e sempre comece a próxima sessão fazendo o levantamento desta tarefa, como foi realiza-la, se sentiu alguma dificuldade, e a partir destes dados, prosseguir para a proxima sessão. Uma coisa muito importante deste sistema, é que facilita ver se o cliente esta mesmo empenhado em seguir as recomendações do Coach, já que se ele não tiver interesse em cumprir estas tarefas, não esta 100% comprometido com o processo.

4 – Você vive bem apenas com a profissão de coach?
R – Apenas com a profissão de coaching ainda não. Na cidade onde resido, Sorocaba/SP, esta profissão ainda não é bem conhecida. Mas posso dizer que a remuneração que tenho hoje vem do entorno do coaching. Sou palestrante e consultor empresarial, e o coaching me ajudou a ter material para trabalhar nestas areas paralelas. Tenho alguns projetos de palestras educativas sobre o coaching, entre outras, onde tambem divulgo o meu trabalho como life coaching. Destas palestras tenho acesso a pessoas que acabam se interessando em fazer um acompanhamento de coaching, mas ainda com um pouco de receio. Da SBC, em Sorocaba, conheço mais 5 pessoas que se formaram no PPC, mas já trabalham como psicologos, e utilizam o coaching como apoio ao seu trabalho principal. Mas tenho uma situação estavel financeiramente, juntando todo este processo, entre palestras, consultorias empresariais e o proprio coaching.

5 – Como você regulamentou a atividade: Empresa, nota fiscal, etc.
R – Este foi um problema no inicio de meu trabalho. Pensei inicialmente em me habilitar como consultor autonomo, ter o registro de autonomo me proporcionaria a ter acesso a empresas que dependessem de comprovante fiscal, e eu teria uma inscrição municipal, regulamentando minha situação. O meu receio foi acabar comprometendo o coaching, pois como aprendemos, o coaching não é uma consultoria. Atualmente, no estado de são paulo (não sei como está em outros estados) surgiu a oportunidade de se cadastrar como “MEI – Micro-Empreendedor Individual”, que é um registro junto a Jucesp e me permite ter um cnpj, pagando uma taxa fixa de impostos no valor aproximado de 50,00 por mês.

6 – Você poderia contar rapidamento um caso de sucesso.
R – Tive bons casos de sucesso. Em meu blog descrevo alguns, Atualizei ele hoje com dois artigos sobre crenças limitantes, onde descrevo o desenrolar de dois casos em que participei como coach. Fora estes exemplos, Tenho outros casos de conquista de empregos, administração de tempo, relacionamentos. O melhor do coaching, é o fato de que é dificil um caso não ser bem sucedido com o auxilio do coaching, com suas ferramentas ele consegue atingir um espaço muito amplo na resolução de diversos problemas do cotidiano. é uma profissão apaixonante, pois cada caso de sucesso, é um sucesso a mais na trajetoria do coach em busca de seus prorpios objetivos.

=============================================================

Caso alguem tenha interesse em conhecer o grupo Coaches em Construção, deixe um comentário que estaremos entrando em contato para maiores informações e redirecionando para os administradores do grupo.

Abraços e Sucesso Sempre….

Ferramentas de Coaching – Como vencer a Timidez

timidezA timidez é um dos grandes fatores que atrapalham o nosso desenvolvimento humano, seja pessoal ou profissional. Com o Coaching, você pode aprender técnicas para diblar a timidez, através de ferramentas como o ensaio mental, e valorizando seus pontos fortes e de conhecimento. Vamos ver algumas dicas de como vencer a timidez, seja na hora de conversar com as pessoas, pedir um aumento de salario, participar de uma entrevista de emprego, entre outras situações:

  1. Caminhe por um local público durante uma ou duas horas para se acostumar a estar entre pessoas.
  2. Pratique sorrir e fazer contato visual para se conectar não verbalmente com pessoas que parecem legais e interessantes a você. (Não tocar, somente olhar & sorrir).
  3. Decida falar com uma nova pessoa por semana. Pode ser numa loja, na lanchonete da escola, no banco.
  4. Atue “como se”. Se todas as pessoas fossem esperar até estarem totalmente confortáveis antes de tentar alguma coisa nova, ninguém faria nada nova! Faça de conta que você não é tímido e atue “como se” você estivesse cheio de confiança.
  5. Se acalme dizendo a você mesmo continuamente que você está bem, e que tudo vai estar bem. Diga isso em voz alta em privado e na sua cabeça em público quantas vezes for necessário.
  6. Identifique a pior das hipóteses. O que é a pior coisa que poderia acontecer se você for até alguém e falar “oi”? Pôr uma cara no seu medo ajuda a reduzí-lo a um tamanho controlável. Por exemplo, a pior coisa que pode acontecer é a pessoa virar e sair. Sim, a rejeição dói, mas você não vai morrer por causa disso. E a aceitação é muito boa, e você nunca vai experimentá-la se você não tentar.
  7. Divirta-se! Esqueça seus próprios medos e se concentre no que faz a outra pessoa ter confiança.

Quando você for ver, já vai ter esquecido da timidez. Faça as coisas fáceis primeiro.

coach-pb