Arquivo da tag: estudo de caso

Entrevista realizada para o Grupo Coaches em Construção

Segue abaixo um e-mail da leitora e amiga Elza Conte, recém formada em coaching pela SBC. Abraços a você e todos os companheiros que se formaram nesta nova turma. É sempre bom saber que o coaching esta cada dia mais presente em nossas vidas, através de profissionais que se preocupam em conhecer e divulgar. Segue abaixo o conteúdo completo do e-mail:

===============================================

Logo nesta segunda feira, após nossa memorável formatura, pedi ao Douglas algum material sobre Crítico Interno. Ele prontamente me respondeu prometendo escrever sobre o assunto. Em seguida pedi-lhe uma entrevista, ao qual ele prontamente se prontificou a colaborar.

Algumas pessoas mandaram questões, eu fiz um resumo e enviei ao Douglas. Além de responder brilhantemente as questões enviadas, ele escreveu três artigos em seu blog a saber:

Os Sabotadores! Inimigos de nosso Sucesso. (Parte 1)

Os Sabotadores! Inimigos de nosso Sucesso. (Parte 2)

Os Sabotadores! Inimigos de nosso Sucesso. (Parte 3)

Gostaria de novamente expressar o meu profundo agradecimento ao Douglas, como escrevi a ele não foi por acaso, que minha intuição resolveu procura-lo.

A ENTREVISTA

Olá Elza, Sempre é confortavel falar sobre coaching.. rsrs.. Estou enviando as respostas a estas perguntas, depois se possivel, gostaria de conhecer o grupo de vocês. Além disso, gostaria de sua autorização para colocar a entrevista em meu blog, com o link, caso haja, para o grupo de coaching de vocês.

1 – Hoje, após algum tempo de ter feito o curso no SBC, o que vc considera mais importante naquele aprendizado?
R – Esta é uma resposta dificil… No ultimo dia de treinamento, conversando com alguns amigos que fiz por lá, chegamos a conclusão de que naqueles 8 dias, divididos em 2 modulos, o mundo mudou completamente.
Mas para ter uma resposta mais direta, acho que o mais importante durante todo o treinamento, foi descobrir o poder que temos dentro de nós de realizar sonhos, não apenas os nossos sonhos, mas os sonhos das pessoas ao nosso redor. Quando o treinamento começou, no primeiro dia, eu realmente não sabia o que estava fazendo lá, no meio de tanta gente, que na grande maioria tinha o mesmo sentimento, mas no decorrer do treinamento, não só descobri o porque de estar lá, como descobri a importancia de se estar lá, todo o aprendizado, todas as experiencias e principalmente a desmistificação do viver.
Aquele treinamento não me deu uma nova profissão, mas sim uma nova visão da vida. Acho que esta visão é o que de mais importante eu trouxe comigo.

2 – O que você adaptou, incrementou ou modificou das técnicas sugeridas pela SBC?
R – Em todo o sistema de técnicas e ferramentas, não fiz adaptações ou modificações, uso-as como aprendi no treinamento, mas fiz adequações a minha realidade. Incorporei um pouco de tecnologia em alguns elementos. Como exemplo, na Roda da Vida, elaborei um sistema em Excel, que envio para meus clientes a distancia, e que facilita o seu uso. Utilizei também o espaço em meu blog, para difundir um pouco mais esta profissão ainda desconhecida.

3 – Eu tenho dificuldades em linkar uma seção a outra o que posso fazer para facilitar isso?
R – A melhor forma de interligar uma sessão a outra, é seguir o planejamento de sessão mostrado logo no inicio do treinamento (tem um modelo na pagina 153 da primeira apostila) O “to do” e o “feed back” são os principais meios de fazer esta ligação. Sempre determine com o cliente uma ação ou tarefa que ele deve executar durante a pausa entre as sessões, e sempre comece a próxima sessão fazendo o levantamento desta tarefa, como foi realiza-la, se sentiu alguma dificuldade, e a partir destes dados, prosseguir para a proxima sessão. Uma coisa muito importante deste sistema, é que facilita ver se o cliente esta mesmo empenhado em seguir as recomendações do Coach, já que se ele não tiver interesse em cumprir estas tarefas, não esta 100% comprometido com o processo.

4 – Você vive bem apenas com a profissão de coach?
R – Apenas com a profissão de coaching ainda não. Na cidade onde resido, Sorocaba/SP, esta profissão ainda não é bem conhecida. Mas posso dizer que a remuneração que tenho hoje vem do entorno do coaching. Sou palestrante e consultor empresarial, e o coaching me ajudou a ter material para trabalhar nestas areas paralelas. Tenho alguns projetos de palestras educativas sobre o coaching, entre outras, onde tambem divulgo o meu trabalho como life coaching. Destas palestras tenho acesso a pessoas que acabam se interessando em fazer um acompanhamento de coaching, mas ainda com um pouco de receio. Da SBC, em Sorocaba, conheço mais 5 pessoas que se formaram no PPC, mas já trabalham como psicologos, e utilizam o coaching como apoio ao seu trabalho principal. Mas tenho uma situação estavel financeiramente, juntando todo este processo, entre palestras, consultorias empresariais e o proprio coaching.

5 – Como você regulamentou a atividade: Empresa, nota fiscal, etc.
R – Este foi um problema no inicio de meu trabalho. Pensei inicialmente em me habilitar como consultor autonomo, ter o registro de autonomo me proporcionaria a ter acesso a empresas que dependessem de comprovante fiscal, e eu teria uma inscrição municipal, regulamentando minha situação. O meu receio foi acabar comprometendo o coaching, pois como aprendemos, o coaching não é uma consultoria. Atualmente, no estado de são paulo (não sei como está em outros estados) surgiu a oportunidade de se cadastrar como “MEI – Micro-Empreendedor Individual”, que é um registro junto a Jucesp e me permite ter um cnpj, pagando uma taxa fixa de impostos no valor aproximado de 50,00 por mês.

6 – Você poderia contar rapidamento um caso de sucesso.
R – Tive bons casos de sucesso. Em meu blog descrevo alguns, Atualizei ele hoje com dois artigos sobre crenças limitantes, onde descrevo o desenrolar de dois casos em que participei como coach. Fora estes exemplos, Tenho outros casos de conquista de empregos, administração de tempo, relacionamentos. O melhor do coaching, é o fato de que é dificil um caso não ser bem sucedido com o auxilio do coaching, com suas ferramentas ele consegue atingir um espaço muito amplo na resolução de diversos problemas do cotidiano. é uma profissão apaixonante, pois cada caso de sucesso, é um sucesso a mais na trajetoria do coach em busca de seus prorpios objetivos.

=============================================================

Caso alguem tenha interesse em conhecer o grupo Coaches em Construção, deixe um comentário que estaremos entrando em contato para maiores informações e redirecionando para os administradores do grupo.

Abraços e Sucesso Sempre….

Os Sabotadores! Inimigos de nosso Sucesso. (Parte 2)

No artigo anterior, começamos a elaborar uma serie de artigos sobre as crenças limitantes e como vence-las. Descrevemos o caso do Sr. João, e como ele conseguiu vencer suas dificuldades em fazer uma faculdade. Hoje, vamos falar de uma segunda ferramenta que pode ser utilizada para trabalhar com as crenças limitantes. Neste caso, vamos  aprender a trabalhar com a ferramenta contra um outro tipo de crença limitante, as Idéias Fixas.

O que são as Idéias Fixas?

As idéias fixas, como as crenças limitantes, são padrões de pensamento que estao inseridos en nosso modo de pensar e sentir. São padrões faceis de serem identificados, tendo o Coach um papel fundamental de detectar estes padrões logo nas primeiras sessões. A partir de dialogos com o individuo, é fácil obter os padrões de idéias fixas, que podem ser por exemplo:

  • Eu não consigo participar de reuniões;
  • Eu não consigo emagrecer;
  • Eu tenho que ser assim;
  • Entre outras..

Para exemplificar esta situação, de forma que possa ser entendida mais facilmente, vamos utilizar um caso em que estive envolvido a algum tempo:

Estudo de Caso – Idéia Fixa
Coachee: Srª. Maria (Nome Fictício)
Periodo: 12 Sessões

Srª. Maria veio me procurar para conseguir alcançar seu sonho de ter um emprego melhor, melhorando assim sua qualidade de vida. Durante as primeiras sessões de reconhecimento, notei logo que a Srº. Maria tinha uma idéia fixa de que tinha que ser perfeita em tudo que fazia para conseguir chegar ao seu objetivo. Este desejo de perfeição, impedia a Sr.ª Maria de aceitar suas falhas, e de certa forma, isto acabava prejudicando suas chances de conseguir uma chance de melhorar profissionalmente, seja dentro da empresa em que trabalhava, como também em outras empresas em que surgissem novas oportunidades.

Conversando com a Srª. Maria, entrei nesta questão da idéia fixa. Detectando que realmente ela se pressionava muito nesta questão, houve a necessidade de interromper o ritmo das sessões como programado, para resolver este problema, que com certeza, tinha forte influência sobre a situação geral.

Colocando as armas a postos:

Encontramos um problema a ser resolvido, então é hora de por as mãos a obra e utilizar do coaching para encontrar as melhores soluções junto ao coachee.

Para este caso, utilizei a técnica de idéias fixas, que visa questionar o quão válido é esta idéia junto ao individuo, e pesar todos os p´ros e contras que ele encontra. Desta forma, estaremos fazendo uma análise custo-benefício, que mostrará de forma prática e clara que o indíviduo pode ter idéias diferentes, e desta forma ter mais opções de alcançar seus objetivos.

O primeiro passo é questionar esta idéia, fazendo com que o coachee começe a ter dúvidas a respeito deste sentimento, e abra a mente para novas possibilidades. Poderiamos até mesmo, neste caso, utilizar da análise swot para levantar os dois lados do questionamento, mostrando para o cliente o quanto esta idéia pode ser irracional.

Pode-se utilizar perguntas como:

  • Quais são as regras que você esta seguindo?
  • O que você sabe sobre…
  • Como você sabe que…
Obs.: Evite no inicio de um processo o uso da palavra “Por quê”. Procure criar e utilizar perguntas que tenham uma resposta que possa ser utilizada. Ao fazer uso de “Por quês”, você corre um sério risco de entrar em uma circulo vicioso de respostas que não terá mais fim.

Com a Srª. Maria, o questionamento seguiu este ritmo:

  • O que te faz pensar, que precisa ser perfeita em tudo, para conseguir uma promoção?
  • O que você pode dizer sobre as pessoas que alcançaram o sucesso que você deseja? Eram perfeitas? Nunca erraram ou cometeram falha em nenhum momento?
  • O que você sabe sobre perfeição? Como você avalia isso em suas ações?
  • Você se baseia em que principio para chegar a esta opinião?

Estes questionamentos, levaram a Srª. Maria a começar a pensar a respeito de suas respostas, e através destas reflexões, podemos elaborar uma análise sobre as vantagens e desvantagens de se apegar a esta ideia.

Com o decorrer do processo, a Srª. Maria foi percebendo que cobrava muito de si mesma, e se colocava em um patamar acima do qual poderia alcançar. Ao perceber que poderia começar a aprender com suas falhas, se posicionou de forma mais branda quanto as suas ações. Quando parou de cobrar de sí mesma, de forma irracional, conseguiu encontrar caminhos que a levaram para o seu objetivo de forma mais tranquila.

Terminando mais este artigo, espero ter contribuido de alguma forma para todos os leitores. É sempre bom buscarmos a perfeição em tudo o que fazemos, mas é importante também entender, que somos seres humanos, passiveis de falhas, e, melhor do que ser perfeito, é ter humildade para que possamos aprender com nossos erros.

Abraços e Sucesso a todos…

Os Sabotadores! Inimigos de nosso Sucesso. (Parte 1)

Faz um tempo que não escrevo nada para este blog, e após receber alguns comentários que muito me alegraram, percebi que tinha alguns assuntos ainda pendentes. Neste artigo, pretendo elaborar um texto de conscientização sobre todos os sabotadores que encontramos no decorrer de nossa vida pessoal e profissional.

Veja os exemplos abaixo:

Você se sente desanimado, achando que nunca vai conseguir realizar seus sonhos? Conquistar um emprego novo? Ter um relacionamento estável? Interagir de forma socialvel com seus colegas de trabalho? Participar ativamente de um grupo social?

Ou podemos citar exemplos mais simples, como comprar um carro novo, emagrecer, ou simplesmente mudar um hábito que lhe incomoda muito. Se em algum momento você se identificou, tenho uma má e uma boa noticia para te dar. A má noticia é que você pode estar sendo violentamente influenciado por sabotadores de seu sucesso. E para piorar um pouco, estes sabotadores são criações suas. A boa noticia, é que você tem o controle de eliminar estes sabotadores e enfim alcançar o sucesso desejado em sua vida, e a partir de agora, vamos conhecer as ferramentas que você pode utilizar para fazer isso.

Conhecendo o inimigo: As Crenças Limitantes

Ja devo ter falado alguma coisa referente as crenças limitantes. São pensamentos que estão enraizados dentro de nosso individuo, e que nos impedem de alcançar nossas metas, fazendo com que desistamos de nossos sonhos antes mesmo de começar a trilhar este caminho. O primeiro passo para reconhecer uma crença limitante, é muito fácil: Basta nos policiarmos para encontrar pensamentos que vão contra nossos desejos. Durante o seu dia, procure identificar estes pensamentos. Eles são semelhantes a estes que se seguem:

  • Não tenho capacidade para conseguir isto;
  • Não mereço ter sucesso nisto;
  • Não consigo realizar tal tarefa;
  • Não posso fazer tal coisa;
  • Entre muitas outras frases comuns.

As crenças limitantes geralmente começam com a palavra não, ou com alguma negativa sobre nossas próprias capacidades. E o simples fato de identificarmos estas frases, já é um grande passo para o inicio do processo de eliminar estes pensamentos. Este assunto acaba gerando ganchos para muitos outros temas, que poderemos abordar futuramente, como por exemplo, algo que já falamos muito, que é o poder do pensamento para realizar nossos objetivos. Além deste assunto ser muito bem tratado no livro “O Segredo”, podemos encontrar muito mais na própria internet. Mas para não nos perdemos neste artigo, vamos focar somente nas ferramentas que o Coaching proporciona.

Colocando as armas a postos:

Modelo AF

O modelo AF é um programa simples e pratico que nos auxilia a lidar com as crenças limitantes. Através de simples ações, podemos confrontar nossa crença limitante e substitui-la por pensamentos que, ao contrario do anterior, irão nos levar cada dia mais próximo de nossos objetivos.
Vamos conhecer esta ferramenta um pouco mais a fundo:

Para concretizar o conhecimento obtido, vamos buscar um caso como exemplo de crenças limitantes.

Estudo de Caso – Crença Limitante
Coachee: Sr. João Silva (Nome Fictício)
Periodo: 8 sessões

O Sr. João da Silva, veio me procurar para resolver um problema em sua vida. É a terceira faculdade que ele tenta fazer, mas sempre desiste ainda no primeiro semestre, e antes de que isso acontece-se desta vez, ele veio buscar alguma solução. Após algumas consultas, foi detectado que o Sr. João tinha em si uma crença limitante que o impedia de se socializar em uma sala de aula. Ele era uma pessoa de mais idade que o restante do grupo, e mesmo sendo uma pessoa extrovertida em outras areas de sua vida, quando estava em uma faculdade se sentia fora de seu ambiente, e sem vontade de interagir por medo de ser julgado de alguma forma.

Vamos agora encaixar este caso em nosso primeiro modelo:

A – Activating (Ativando a crença limitante)
Ativar a crença limitante é se colocar nas situações em que você sente que esta sendo sabotado. No caso citado acima, juntamente com o Sr. João, criamos cenarios mentais que provocavam as crenças limitantes que faziam parte de seu individuo. Este passo é importante para que o individuo se habitue a encontrar suas crenças limitantes. E sendo feita de maneira adequada, ele se sente seguro em expressar seus sentimento. Neste ponto é importante que o coach tenha total controle sobre a situação, tranquilizando o individuo e colocando o mesmo em um ambiente controlado, onde ele pode se sentir mais a vontade.

B – Belieff (Identificando as crenças limitantes)
Após o Sr. João se colocar na situação indesejada, podemos ter acesso a todas as crenças limitantes que fazem parte desta situação. É importante expressar de forma clara cada pensamento que passa pela cabeça do individuo, anotando-os se necessário, para que possamos trabalhar com as crenças identificadas. Dando continuidade ao caso, no momento em que o Sr. João estava na situação, foi se identificando diversas crenças limitantes que podemos descrever nas frases abaixo:

  • O que um velho esta fazendo na faculdade?
  • Ninguem vai me dar atenção?
  • Se eu falar algo, vão olhar de modo estranho para mim.
  • Não tenho mais idade para estudar.
  • O que estas pessoas vão pensar de mim?

Para facilitar este processo, em cada crença limitante, você pode confrontar com questionamentos para detectar qual tem mais influência sobre as dificuldades encontradas. Encontrando as crenças limitantes, podemos passar para o próximo passo de nosso modelo.

C – Consequences
(Consequências emocionais e comportamentais)
Neste momento é importante obter o máximo de sensações possiveis junto ao individuo. O Sr. João demonstrou um grande angústia, desanimo e baixa autoestima. O Coach pode interferir neste momento buscando estabelecer uma relação entre estes sentimentos e seus efeitos colaterais. Descobrir estas consequências ajuda ao individuo a perceber quando uma crença limitante esta tomando conta de seu momento, e com isso, bloquear de forma efetiva, como podemos ver nos passos seguintes.

D – Disputing
(Disputando as crenças limitantes)
Este é o momento do recomeço. É a partir de agora que vamos começar a criar uma nova fase com crenças novas e que podem nos fazer vencer. Tudo começa com o confronto das crenças que obtemos nos passos anteriores. Com o Sr. João, fomos fundo neste confronto. Este é um momento muito delicado, pois estamos alterando um evento interior, colocando um espelho a nossa frente e vendo com os proprios olhos, o que realmente nos impede de alcançar uma meta.
É importante utilizarmos de perguntas chaves, para que o confronto realmente ocorra. Algo como:

  • Esta crença é lógica?
  • Quanto ter esta crença ajuda você?

Com o Sr. João, levantamos questionamentos como:

  • Qual a importancia da opinião das pessoas da sala?
  • Existe um limite de idade para estudar?
  • O que você ganha ou perde com estas afirmações?

Isto fez com que o Sr. João começasse a pensar a respeito de suas respostas, e também sobre a real validade de suas crenças. O ponto crítico é quando o individuo começa a colocar em dúvidas as suas crenças, fazendo com que o alicerce que as sustenta comece a desmoronar rapidamente. Vamos para o próximo passo.

E – Effective (Criando uma nova crença)
Devemos aproveitar este momento de dúvida para estabelecer novas crenças, que possam neutralizar os efeitos das crenças anteriores. Friso que este é um momento muito importante, e que deve ser feito com bastante calma e serenidade por parte do Coach. As crenças anteriores estão enfraquecidas, e se deixarmos passar este momento, elas podem retornar com mais força, atropelando todo o processo.

A criação de uma nova crença, deve ter a participação efetiva do individuo, não devendo conter influencias do Coach. Com o Sr. João, após todo o processo anterior, começamos a desenvolver suas novas crenças. Como as crenças anteriores, estas novas crenças devem ser frases motivacionais, que interpelem as crenças anteriores. Chegamos as seguintes frases:

  • Não existe idade para entrar em uma faculdade, estou em plena forma fisica e mental e posso perfeitamente desempenhar o meu papel junto aos meus colegas de classe.
  • Estou em uma faculdade para aprender, da mesma forma como cada um de meus colegas de classe, e por este motivo, não tenho que me preocupar em perguntar coisas que eu não sei.

Estas foram algumas das frases criadas, para fortalecer as novas crenças junto ao Sr. João. Agora vamos para o ultimo passo para efetivar definitivamente estas novas crenças.

F – Feelings (Descobrindo novos sentimentos e emoções)
Este é o momento da prática das novas crenças. É o momento de desafiar estes novos sentimentos indo a campo. O Sr. João após esta sessão, se comprometeu a pensar um pouco mais antes de abandonar a faculdade e testar suas novas crenças pelo periodo de um mês.

Na sessão posterior, o Sr. João chegou com uma nova energia, com um sorriso em seu rosto, demontrando que suas novas crenças estavam funcionando. Ele já faz parte de um grupo da sala, e contribui muito com sua experiencia, sendo destaque em varios trabalhos apresentados pelo seu grupo.
Efetuando um FeedBack com o Sr. João, foi questionado seus sentimentos no momento do evento, de que forma ele se comportou, o que estava pensando, e o mais importante, de que forma a sua nova crença esta mais lógica, mais consistente e como isso esta o ajudando.

Este é um dos casos em que esta ferramenta obteve sucesso. O Modelo AF, quando bem estruturado e utilizado, pode ser uma ferramenta de grande ajuda para eliminar nossos sabotadores. Em um próximo artigo, vamos dar continuidade a este tema, falando de uma segunda ferramenta de coaching que nos auxilia a eliminar nossas crenças limitantes.

Sucesso a Todos e tenham uma otima semana.