Arquivo da tag: pessoal

Segredos do Balanced ScoreCard – Técnicas e Ferramentas

Aproveitando a deixa do artigo anterior, Vamos dar continuidade ao Balanced ScoreCard, uma importante ferramenta de gerenciamento e estratégia que qualquer empresa deve e também os profissionais liberais podem utilizar para melhorar sua performance de trabalho junto ao seu mercado.

O que é o Balanced Scorecard?

BSC – Balanced Scorecard – é uma sigla que, traduzida, significa Indicadores Balanceados de Desempenho.

Este é o nome de uma metodologia voltada à gestão estratégica das empresas. O porquê de indicadores balanceados? Esta metodologia pressupõe que a escolha dos indicadores para a gestão de uma empresa não deve se restringir a informações econômicas ou financeiras. Assim como não é possível realizar um vôo seguro baseando-se apenas no velocímetro de um avião, indicadores financeiros não são suficientes para garantir que a empresa está caminhando na direção correta. É necessário monitorar, juntamente com resultados econômico-financeiros, desempenho de mercado junto aos clientes, desempenho dos processos internos e pessoas, inovações e tecnologia. Isto porque o somatório das pessoas, tecnologias, inovações, se bem aplicada aos processos internos das empresas, alavancarão o desempenho esperado no mercado junto aos clientes e trarão à empresa os resultados financeiros esperados. Isto é o que se chama de criar valor com ativos intangíveis.

BSC, portanto, a partir de uma visão integrada e balanceada da empresa, permite descrever a estratégia de forma clara, através de objetivos estratégicos em 4 perspectivas: financeira, mercadológica, processos internos e aprendizado & inovação; sendo todos eles relacionados entre si através de uma relação de causa e efeito. Além disso, o BSC promove o alinhamento dos objetivos estratégicos com indicadores de desempenho, metas e planos de ação. Desta maneira, é possível gerenciar a estratégia de forma integrada e garantir que os esforços da organização estejam direcionados para a estratégia.

O BSC foi originalmente criado pelos Professores da Harvard Business School, Robert Kaplan e David Norton em 1992 e, desde então, vem sendo aplicado com sucesso no mundo inteiro em centenas de organizações do setor privado, público e em organizações não-governamentais.

Pesquisas recentes indicam que cerca de 50% das empresas da lista Fortune 1000 estão utilizando o Balanced Scorecard nos EUA e na Europa entre 40% e 45%. O BSC foi escolhido pela renomada revista Harvard Business Review como uma das práticas de gestão mais importantes e revolucionárias dos últimos 75 anos. No ano 2001, o Primeiro Comitê Temático do PNQ – Prêmio Nacional da Qualidade – elegeu o Balanced Scorecard como uma das ferramentas de gestão para a excelência empresarial. Além disso, o BSC contribui direta e indiretamente para o alcance de aproximadamente 580 pontos nos critérios de excelência do PNQ.

O que não é o bsc (ou os 5 equívocos do BSC)…

O BSC não é:

  1. Um novo sistema de indicadores financeiros;
  2. Um sistema automático de informações;
  3. Um sistema de gestão operacional;
  4. Um formulador de estratégias;
  5. Um projeto único e isolado na empresa.

Conhecendo as terminologias dos BSC

Em um projeto BSC, deve ser elaborado um Mapa Estratégico que descreva de forma clara a Estratégia através de Objetivos vinculados entre si e distribuídos nas quatro dimensões. Cada objetivo terá de um a dois indicadores associados, com metas e planos de ação a ele vinculados.

Qual é o objetivo do BSC?

Por que as empresas implementam o BSC?

O principal desafio das empresas é o sucesso na criação de valor. Para planejar como criar valor agregado, as empresas desenvolvem estratégias, que nada mais são do que escolhas ou um posicionamento único das empresas no mercado com objetivo de atingir uma situação futura.

Uma pesquisa realizada pela Symnetics com 100 empresas brasileiras em 1999 mostrou que somente 10% das estratégias são implementadas com sucesso. As principais razões encontradas nas falhas de implementação de 90% das estratégias não estavam na formulação em si, mas sim no que podem ser denominadas de quatro barreiras…

  • barreira da visão: somente 5% do nível operacional compreende a estratégia;
  • barreira das pessoas: somente 25% do nível gerencial possui incentivos vinculados ao alcance da estratégia;
  • barreira de recursos: 60% das empresas não vinculam recursos financeiros à estratégia;
  • barreira de gestão: 85% dos gestores gastam menos que 1h/mês discutindo estratégia.

O BSC foi concebido com o objetivo de suprimir estas barreiras. O processo de construção de um BSC estimula um intenso diálogo da alta direção das empresas, criando alinhamento ao redor da estratégia, maior transparência e consenso em relação ao que é a estratégia e como ela será atingida. Este é o motivo que levou empresas como Mobil, ABB, AT&T, Cigna, Eletrosul, Amanco, Alcoa, Aracruz, Chandon, Brasil Telecom, Camargo Corrêa, Cia. Suzano, CST, Holdercim, Gerdau, Laboratório Chile, Mercedes Benz, Mi Banco, Oxiteno, Opsa Finlay, Petrobras, Presidência da República do México, entre outras, a optarem pelo Balanced Scorecard.

Os principios de um organização orientada a estratégia

O que significa ser uma organizacão orientada para estratégia?

  • estratégia: ter a estratégia como o principal item da agenda organizacional. O BSC permite que as empresas descrevam e comuniquem a estratégia para toda a empresa de forma clara e como base para a ação;
  • foco: concentração dos esforços em prol da estratégia. Com o alinhamento entre objetivos, indicadores, metas e planos de ação promovidos pelo BSC, o foco é a estratégia;
  • organização: todas as pessoas mobilizadas para uma atuação estratégica. O BSC permite o alinhamento e entendimento de todos quanto às questões estratégicas da empresa.

A Organização orientada para a estratégia, essência do BSC, pressupõe alinhamento e foco de toda a organização no alcance da estratégia. Isto é o que existe de comum entre as centenas de empresas que implementaram o BSC.

Fonte: KALLÁS, David. O que é o Balanced Scorecard? [S.l.:s.n.].

Serie: Um pouco mais sobre Coaching

CONCEITO E OBJETIVOS

O COACHING é um processo de orientação e assessoramento ao desenvolvimento pessoal e profissional do indivíduo , fundamentado em uma relação de ajuda e facilitação aos esforços pessoais do Cliente na obtenção dos meios que lhe permitam realizar seus projetos de vida.

Constitui-se em um compromisso mútuo entre o orientador (COACH) e o Cliente quanto às metas, ações, recursos e condições que possibilitem a realização de seus projetos , através da potencialização de talentos e competências, da ampliação de limites, do desenvolvimento de aspectos restritivos, visando a plenitude de desempenho e o alcance dos resultados pretendidos.

O resultado final do processo de COACHING é a construção do Plano de Desenvolvimento Individual (PDI)

MISSÃO DO COACH

O COACH tem a missão de estabelecer uma relação de compromisso e confiança com o Cliente, de maneira a possibilitar a identificação e análise conjunta dos aspectos relevantes de sua trajetória de vida pessoal e profissional, as características de perfil e potencial que favoreçam ou dificultam o alcance de suas metas.

Exerce a função de atuar como coadjuvante no processo de desenvolvimento do Cliente, trabalhando com os recursos internos e externos que possam impulsionar a realização de suas aspirações.

ETAPAS DO PROCESSO DE COACHING
  1. O processo é composto de oito sessões individuais com duas horas de duração aproximadamente. Como resultado final, apresentamos um plano de desenvolvimento individual contendo as metas, ações estratégicas táticas, prazos, recursos e condições, resultados pretendidos e acompanhamento.
  2. Conteúdo das Sessões:
    • Levantamento de expectativas;
    • Compreensão do conceito e objetivos do COACHING;
    • Estabelecimento do contrato e compromisso da relação COACH / CLIENTE;
    • Definição de agenda e responsabilidades;
    • Projeção da visão de futuro (rumos e objetivos)
    • Mapeamento das características de perfil / potencial e aspectos relevantes da trajetória de vida, através de entrevistas e utilização de instrumentos técnicos, exercícios e jogos interativos;
    • Identificação dos fatores motivacionais;
    • Devolução e análise conjunta de todo o mapeamento, incluindo entrega de laudo;
    • Construção do Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) : assessoramento na elaboração do plano de metas, definição de ações estratégicas e táticas, prazos, recursos, condições e resultados pretendidos;
    • Indicações bibliográficas, cursos de especialização, programas de desenvolvimento e outras alternativas que contribuam para viabilizar o plano de desenvolvimento.
AÇÕES DE ACOMPANHAMENTO
  • As ações de acompanhamento visam identificar aspectos facilitadores e dificultadores para a realização do plano de desenvolvimento, bem como assessorar o Cliente quanto à evolução do processo de COACHING, possíveis mudanças de rumos e objetivos de acordo com a dinâmica de sua vida pessoal e profissional.
  • As ações serão definidas e programadas a partir das condições e necessidades apresentadas pelo Cliente.

Retirado do site: http://www.quatre.com.br

Vivemos uma crise de valores?

Antes de discutir a questão acima, precisamos entender sobre quais valores estamos falando. Se estivermos falando a respeito dos nossos valores culturais, realmente estamos vivendo uma época de crise, já que é muito comum sobrepormos esses valores por valores econômicos e materiais.

Atualmente, vivemos uma época do “ter”. É mais importante “ter” do que “ser”. Hoje o conhecimento esta sendo rebaixado a um segundo plano, onde o que você sabe, é facilmente ignorado pelo o que você possui materialmente. Estamos em uma era de consumismo acelerado, onde se destaca aquele individuo que consegue possuir um maior número de “coisas”, e deixa de lado os valores verdadeiros, que irão fazer uma real diferença no seu futuro.

A própria mídia nos força a ter este novo comportamento, com propagandas massivas de produtos que mudam apenas sua aparência, com um apelo visual cada vez mais forte e dominador, fazendo com que percamos nossa principal essência de mostrar o que somos realmente, através de nossos próprios conceitos e valores.

Perdemos nossa essência, por conta do “ter”, do “possuir”, e hoje, chegamos ao extremo de “possuir” pessoas. Os nossos sentimentos de posse não se resumem mais unicamente a bens materiais, como carros, uma boa conta bancaria, mas também se expande para nossos circulo de relacionamentos. O verbo “ter” tomou uma proporção muito grande em nossa vida. Ao falarmos que “temos” amigos, “temos” um namorado (a), muitas das vezes estamos falando do ter como posse, como se essas pessoas que estão ao nosso lado, às vezes simplesmente por querer fazer parte de nossa vida, de uma sociedade, nos pertencessem, e desta forma, tivéssemos total domínio sobre suas existências.

Esquecemos do mais importante, avaliar realmente o porquê estas pessoas estão ao nosso lado? Na maioria das vezes, é fato admitir que grande parte das pessoas se aproxime por interesse, se aproximam pelo o que você “tem”, e querem fazer parte deste “ter”. Mas ainda é possível encontrar pessoas que pensam diferentes, que ainda buscam nos valores individuais as suas escolhas de companhia e relacionamento.

Estas pessoas ainda acreditam nos valores individuais de cada um, como a amizade, respeito, admiração e principalmente amor, não o amor sexual de “ter”, “possuir”, mas o amor fraternal que é o laço principal que une as pessoas que ainda, neste mundo de “ter” e “possuir”, ainda acreditam no individuo e na sua própria essência.

Vivemos em uma crise de valores, mas cabe a nós mesmos, valorizar os valores realmente importantes, que podem fazer a diferença em nosso hoje, e principalmente, no nosso amanhã.

Ferramentas de Coaching – A importância de Administrar seu Tempo

O tempo é o recurso mais escasso e o mais valioso que existe. Agora já passou e não tem dinheiro no mundo que possa comprar este minuto de volta. Aprender a administrar o tempo é uma das ações mais importantes que qualquer pessoa pode fazer para melhorar suas chances de sucesso nos negócios e na vida.

Há diversos livros e cursos no mercado e este artigo é apenas uma introdução que, longe de esgotar o assunto, vai te dar os principais recursos para atingir seus objetivos.

Planejamento do tempo

Como sempre, a importância do planejamento não pode ser descartada. Planejar o tempo significa saber o que se quer fazer e ordenar as ações para a realização da maior quantidade de atividades no menor prazo para se atingir seus objetivos.

Agenda diária

Para planejar bem o seu tempo, desenvolva o hábito de manter uma agenda diária, faça assim:

No começo do dia, escreva uma lista de tudo o que quer realizar. Faça desta sua primeira atividade, antes de qualquer coisa. Tá bom, depois do café da manhã e de escovar os dentes :–)

No final do dia, veja tudo o que conseguiu fazer e transfira para o dia seguinte o que não foi feito.

Prioridades

É importante saber dar prioridade às ações. Para mim, há alguns fatores que influenciam minhas prioridades:

Prazo. A primeira coisa que levo em conta é a data de entrega de uma tarefa. Uso um truque que é programar cada coisa para dois dias antes da data final. Assim eu tenho tempo de rever as coisas antes da entrega. Nem sempre dá pra fazer isto, porque surgem imprevistos e coisas de ultima hora e até aquelas coisas “pra ontem”. Nestes casos eu observo:

Resultados. Procuro dar prioridade àquelas atividades que trarão o maior resultado. A “Regra de Pareto” diz que 20% do que fazemos traz 80% dos resultados, enquanto os outros 80% de atividades produzem 20% de resultados.

Procuro identificar os 20% melhores e delegar o restante. Pense nisto: às vezes vale mais a pena contratar alguém para resolver o que não traz tanto benefício, mas que igualmente precisa ser feito. Ex: ir ao banco, ao correio etc. Pode sair até mais barato.

Facilidade. O terceiro fator de priorização de atividades é a facilidade (ou dificuldade) que determinada ação representa. Eu tento realizar tudo o que é mais rápido e fácil antes, assim no final do dia terei realizado um monte de coisas.

O perigo é ir deixando coisas mais complexas para depois e acabar esquecendo, por isso que este é o terceiro fator e não o primeiro. Os prazos e os resultados têm um peso maior que a facilidade de execução.

Às vezes, quando percebo que alguma coisa vai ser complicada, vou fazendo um pouco a cada dia ou por outro lado, vou “quebrando” um problema difícil em problemas menores e mais fáceis de resolver. Cada pequena parte resolvida é uma parte do todo, assim, quase sem querer grandes obstáculos são ultrapassados.

Conjugando estes três ângulos você também pode estabelecer suas prioridades.

Lista Mestra

Uma lista mestra é a sua lista de afazeres. É a partir dela que você monta sua agenda diária. Veja como se faz – pegue uma folha de papel pautada (ou abra uma planilha) e faça as seguintes colunas:

Atividade, Prazo, Resultado, Facilidade, Prioridade, Completado.

O significado de cada coluna:

Atividade. O que deve ser feito; 

Prazo. A data de entrega. Se não há data fixa defina uma, mas não deixe cair muito longe; 

Resultados. Tente dar um nível de resultado esperado; 

Facilidade. Dê um nível de facilidade. Pode ser fácil, médio, difícil ou 1,2,3,4,5. Enfim, você é que sabe; 

Prioridade. Com base nas outras colunas você pode definir a prioridade de cada ação; 

Completado. Nesta coluna você coloca uma marca em cada atividade concluída. Ao terminar uma ação você também pode riscar a linha, se preferir.

Quando uma nova atividade surgir, você deve colocar ela na lista mestra e (tentar) completar as outras colunas. Lembre–se. No começo do dia você examina sua agenda e atualiza sua listra mestra. No final do dia, repete a ação e planeja o dia seguinte.

Juntando tudo

Monte sua lista mestra e use–a para manejar a agenda diária. Tente por alguns dias e se você fizer tudo direitinho, vai acabar sendo conquistado por esta forma de trabalhar. Em pouco tempo, verá como fica fácil trabalhar assim e como você vai ficar orgulhoso com os resultados que vai alcançar.

Porque vai estar se colocando desafios e ultrapassando cada um deles, controlando seu tempo e sua vida. Comece hoje mesmo a planejar seu tempo e realize mais e melhor.

Aprender a Gerenciar e Administrar seu tempo é umas das ferramentas utilizadas no Coaching, para que você possa alcançar seus objetivos. Entre em contato pelos comentários ou pelos e-mail douglas.coach@gmail.com, e aprenda mais sobre como organizar sua agenda diária.

Visão – Seja uma pessoa que olha o futuro…

A visão é a explicitação do que você espera e acredita para o seu futuro. É uma imagem mental poderosa que tem a propriedade de materializar sonhos.
Para construir uma visão de futuro:
a) Imagine-se daqui a alguns anos.
Onde você estará em um, cinco, dez e 25 anos? O que estará fazendo? Quais terão sido suas realizações? Quem terá conhecido? O que terá aprendido?
b) Adote um “diário do futuro”.
Há quem ainda escreva diários, um registro pessoal e muitas vezes secreto de comportamentos, pensamentos e ações. Modernamente os diários ganharam o mundo virtual através dos blogs. Em qualquer dos casos, faça seus relatos não sobre o passado, mas sobre o futuro que imaginou conforme sugestão anterior. Seja detalhista, entusiasmado e profético ao discorrer suas palavras.
c) Projete o filme da sua vida.
Reúna suas experiências passadas e sua visão de futuro, ambas ilustradas pelos seus diários do passado e do futuro, para imaginar o filme de sua vida, uma película extraordinária onde você figura como diretor e protagonista de sua própria história.
Ao vislumbrar seu futuro, lembre-se de desenhá-lo com cores alegres, vibrantes e positivas. O que hoje se conceitua como “leis da atração” nada mais é do que uma imagem mental positiva amparada por ação concreta em direção da realização e da conquista do sucesso.

A visão é a explicitação do que você espera e acredita para o seu futuro. É uma imagem mental poderosa que tem a propriedade de materializar sonhos.

Para construir uma visão de futuro:

1 – Imagine-se daqui a alguns anos.

Onde você estará em um, cinco, dez e 25 anos? O que estará fazendo? Quais terão sido suas realizações? Quem terá conhecido? O que terá aprendido?

2 – Adote um “diário do futuro”.

Há quem ainda escreva diários, um registro pessoal e muitas vezes secreto de comportamentos, pensamentos e ações. Modernamente os diários ganharam o mundo virtual através dos blogs. Em qualquer dos casos, faça seus relatos não sobre o passado, mas sobre o futuro que imaginou conforme sugestão anterior. Seja detalhista, entusiasmado e profético ao discorrer suas palavras.

3 – Projete o filme da sua vida.

Reúna suas experiências passadas e sua visão de futuro, ambas ilustradas pelos seus diários do passado e do futuro, para imaginar o filme de sua vida, uma película extraordinária onde você figura como diretor e protagonista de sua própria história.

Ao vislumbrar seu futuro, lembre-se de desenhá-lo com cores alegres, vibrantes e positivas. O que hoje se conceitua como “leis da atração” nada mais é do que uma imagem mental positiva amparada por ação concreta em direção da realização e da conquista do sucesso.

Os Valores Pessoais e sua importância…

valoresDeterminar seus valores ajuda a você entender melhor como melhorar suas qualidades e utilizar suas forças de maneira correta para alcançar seus objetivos e seguir em sua missão. Vamos ver alguns pontos importantes para que você possa descobrir quais realmente são seus valores, e como você esta convivendo com eles.

a) Identifique os princípios que governam sua vida.
É uma tarefa demorada e que ordena alta concentração e reflexão. Verifique os valores mais recorrentes em seus pensamentos e ações. Podem ser a integridade e a justiça, indicando um perfil voltado à conduta social; ou a humildade e a generosidade, sinalizando para foco em serviços ao próximo; ou a autonomia e a autoconfiança, apontando para o egocentrismo. Pode ser um conjunto de todos eles. Não importa. O fundamental é que os aspectos selecionados representem o que você de fato é, e não o que gostaria que as pessoas pensassem a seu respeito. Assim, escolha valores inerentes ao seu caráter e não à sua reputação.
b) Coloque-os em ordem de prioridade.
Após selecionar entre cinco e sete valores, procure ordená-los de acordo com o grau de importância relativa. É um momento decisivo, pois exigirá que você faça escolhas. Neste momento ficará evidenciado se os valores preponderantes são materiais ou emocionais, individuais ou coletivos.
c) Escreva um parágrafo para cada um dos valores escolhidos.
É o momento de unir razão e emoção, cabeça e coração. Coloque no papel o porquê de suas escolhas, leia com atenção e reflita.
Ao final você terá escrito o que denomino “Constituição Pessoal”. É sua carta de valores, pessoal e intransferível. Carregue consigo esta pequena lista, leia-a regularmente e tome suas decisões com base nela. Uma atitude em desacordo com seus valores deverá causar desconforto, incômodo até, ensejando uma mudança atitudinal ou uma revisão dos valores selecionados.

1 – Identifique os princípios que governam sua vida.

É uma tarefa demorada e que ordena alta concentração e reflexão. Verifique os valores mais recorrentes em seus pensamentos e ações. Podem ser a integridade e a justiça, indicando um perfil voltado à conduta social; ou a humildade e a generosidade, sinalizando para foco em serviços ao próximo; ou a autonomia e a autoconfiança, apontando para o egocentrismo. Pode ser um conjunto de todos eles. Não importa. O fundamental é que os aspectos selecionados representem o que você de fato é, e não o que gostaria que as pessoas pensassem a seu respeito. Assim, escolha valores inerentes ao seu caráter e não à sua reputação.

2 – Coloque-os em ordem de prioridade.

Após selecionar entre cinco e sete valores, procure ordená-los de acordo com o grau de importância relativa. É um momento decisivo, pois exigirá que você faça escolhas. Neste momento ficará evidenciado se os valores preponderantes são materiais ou emocionais, individuais ou coletivos.

3 – Escreva um parágrafo para cada um dos valores escolhidos.

É o momento de unir razão e emoção, cabeça e coração. Coloque no papel o porquê de suas escolhas, leia com atenção e reflita.

Ao final você terá escrito o que denomino “Constituição Pessoal”. É sua carta de valores, pessoal e intransferível. Carregue consigo esta pequena lista, leia-a regularmente e tome suas decisões com base nela. Uma atitude em desacordo com seus valores deverá causar desconforto, incômodo até, ensejando uma mudança atitudinal ou uma revisão dos valores selecionados.

PEP – Planejamento Estratégico Pessoal – I

coach-pb

Refletindo um pouco, veremos que a não realização de nossos sonhos é por falta de planejamento. Você já perdeu oportunidades por falta de tempo? Tem dificuldade em atingir o que quer? Os desejos de final de ano não se realizam? Frustra-se tentando acertar na vida? Busca ser feliz, mas não consegue? Falta motivação em sua vida?

Deseja mudar essa situação? Se você não sabe para onde está indo qualquer lugar serve. Escreva seu PEP. Não é uma tarefa fácil, mas assim você dará os passos certos, na hora certa e na direção certa.

Quando se constrói uma casa a primeira preocupação é com o projeto ou a planta, para que tudo saia conforme o que se deseja.

Com a nossa vida é a mesma coisa. Precisamos por nossos objetivos no papel, ter um norte para nos guiar. Devemos planejar o que estaremos fazendo em 2, 5 e 10 anos, como serão os anos dourados, qual salário e cargo , que experiências e responsabilidades teremos no curto, médio e longo prazo.

Planejamento Estratégico Pessoal (PEP) é um método de gerenciamento de vida, que envolve mudanças de hábitos e atitudes, possibilitando maior organização pessoal, potencialização do tempo e dos recursos pessoais, assim como o desenvolvimento de habilidades pessoais e eliminação de hábitos negativos.

Envolve família, a espiritualidade, o corpo, o social e o financeiro, o que foi feito e o que ainda se deseja realizar. É preciso metodologia, revisão constante e flexibilidade.

Porque escrever um Planejamento Estratégico Pessoal?

Para conciliar os seus recursos com as oportunidades que o mundo lhe oferece, objetivando ser feliz, próspero e realizado.

“Se você não sabe para onde está indo, provavelmente acabará em algum outro lugar. Como você pode saber para onde está indo ou como fará para chegar lá se não tiver um destino bem claro em mente?” (Ioki Berra).

O PEP é a nossa bússola profissional e é decisivo na travessia rumo ao futuro. Quando o que estivermos fazendo não tiver sentido o planejamento é fator motivador para continuarmos na trilha certa, que nosso objetivo está na conclusão do planejamento. Segundo Cristina Assis, diretora de RH da Motorola, “O sucesso de uma carreira depende 40′ da atitude da pessoa, 30′ da empresa e 30′ do mercado”. O que você está esperando? Comece agora a escrever o seu Planejamento. Faça a diferença e alcance seus objetivos.

Texto emprestado do site: Plugmasters