Arquivo da tag: zona de conforto

Os 5 Estágios da Morte – #Coaching – #Coach – #Mudanças

Muitos devem estar se perguntando o que os 5 estágios da morte tem em comum com o Coaching. Mas basta pensarmos um pouco nos conceitos do Coaching que poderemos ter uma clara ideia de como estes assuntos possuem pontos em comum.

O Modelo de Kübler-Ross propõe uma descrição de cinco estágios discretos pelo qual as pessoas passam ao lidar com a perda, o luto e a tragédia. Segundo esse modelo, pacientes com doenças terminais passam por esses estágios. O modelo foi proposto por Elisabeth Kübler-Ross em seu livro On Death and Dying, publicado em 1969. Os estágios se popularizaram e são conhecidos como Os Cinco Estágios do Luto (ou da Dor da Morte, ou da Perspectiva da Morte).

  • Negação e Isolamento: “Isso não pode estar acontecendo.”
  • Cólera (Raiva): “Por que eu? Não é justo.”
  • Negociação: “Me deixe viver apenas até meus filhos crescerem.”
  • Depressão: “Estou tão triste. Por que se preocupar com qualquer coisa?”
  • Aceitação: “Tudo vai acabar bem.”

Quando analisamos estes conceitos dentro de uma visão de mudança de comportamento, ou um desafio a ser vencido, podemos chegar a conclusões interessantes de como serão nossas emoções diante das adversidades que encontraremos.

O Coaching trabalha com a mudança de comportamento, quando isso se faz necessário para alcançar alguma meta ou objetivo proposto. Toda mudança de comportamento presume que devemos deixar algum comportamento de lado e iniciar um processo de mudança interior, seja em nossos hábitos ou em nossas habilidades. Resumindo, as vezes precisamos enfrentar nosso principal desafio para realizar uma mudança em nós mesmos, que é: “Sair da Zona de Conforto”.

Um mal hábito ou uma habilidade ineficaz deve ser eliminada de nosso modo de agir, de forma a abrir espaço para que novos hábitos e novas habilidades possam fazer um trabalho melhor na realização de nossos objetivos. É exatamente neste ponto, que encontramos as ligações existentes entre o Coaching e os 5 estágios da morte.

Atingir um objetivo as vezes exige que sacrifícios sejam feitos, e quando falamos de sacrifícios pessoais , muitas pessoas se sentem mal em ter de sacrificar algo em que “acredita” ou que convive já a muito tempo. E aqui chegamos ao primeiro estágio, o da “negação”.

Negamos que precise ser feito alguma mudança para alcançarmos nossos objetivos, negamos o fato de que um hábito ou uma habilidade esteja afetando de forma negativa nosso processo, e negamos principalmente, que a mudança deve ser feita em nós mesmos, pois sempre achamos que os outros devem mudar para que nossos objetivos sejam alcançados. Deixo como chave para este paragrafo uma frase que uso cotidianamente, e que tem um apelo emocional forte o suficiente para que possamos sair desta primeira fase de negação:

Não há nada que seja maior evidência de insanidade do que fazer a mesma coisa dia após dia e esperar resultados diferentes. (Albert Einstein)

Nossos objetivos e nossas metas são importantes para nossa felicidade, mas como visto anteriormente, as vezes sacrifícios são necessários. Quando conseguimos aceitar estes sacrifícios, e passamos pelo estagio da negação, ficamos por algum momento ainda preso ao sentimento de raiva, por ter de sacrificar algo, é quando chegamos ao segundo estágio, o da “cólera”.

Ficamos com raiva, pelo simples fato de que aceitar que devemos mudar significa que devemos aceitar que estivemos agindo errado por algum tempo. Poucas pessoas possuem a capacidade de aceitar seus erros de forma lógica e razoável. Somos humanos, e como humanos, estamos propensos a cometer erros, e o importante neste caso, é aceitar e aprender com os erros, de forma que não tenhamos mais o porque de repetir os mesmos futuramente.  Vejamos como ilustrar isso de uma forma melhor:

Eu não me envergonho de corrigir os meus erros e mudar de opinião, porque não me envergonho de raciocinar e aprender. (Alexandre Herculano)

Quando aceitamos a mudança, e deixamos de sentir raiva por termos de mudar, chegamos ao estágio 3, o da negociação, quando então tentamos manter nossa zona de conforto intacta e mesmo assim obter os benefícios da mudança. O importante neste estágio é perceber que nada muda se nós não mudarmos, e que manter a mesma postura, mesmo se propondo a realizar coisas diferentes irá atrasar ou interditar nosso acesso para a realização dos objetivos. A mudança é importante, e as vezes, só teremos resultados quando esta mudança é dramática e definitiva.

A mudança é a lei da vida. E aqueles que apenas olham para o passado ou para o presente irão com certeza perder o futuro. (John Kennedy)

O 4 estágio, a “depressão”, pode ser o menos influente, mas nem por isso deve ser ignorado. Digo menos influente pelo fato de que alguns objetivos podem fazer com que ele não seja percebido ou iniciado, mas quando isso acontece, deve-se ao simples fato de que não estamos convencidos de que podemos realmente mudar. Este é um bom momento para que possamos refletir a respeito de nossos objetivos e obter através destas reflexões, força de vontade para se comprometer em 100% para a realização do mesmo.

Tudo que criamos para nós, de que não temos necessidade, se transforma em angústia, em depressão… (Chico Xavier)

O 5 estágio, a “Aceitação”, é a nossa meta final neste proposito de análise. Mas devemos ter cuidado em tornar esta aceitação um combustível para nosso progresso e nosso desenvolvimento, com uma visão clara de nosso objetivo, ou então cairemos em uma nova zona de conforto, quando então acabamos por paralisar o processo, e todo o aprendizado obtido até o momento não terão tido nenhum proposito real. A aceitação é o resultado de um processo bem desenvolvido, e quando aceitamos a mudança, vendo nela a chance de obtermos resultados positivos em nossos objetivos, ela se torna uma ferramenta capaz de auxiliar todo o processo de transformação que estamos dispostos a enfrentar.

Espero que este artigo possa ter aberto uma nova visão a respeito das mudanças e da nossa permanência na zona de conforto. Caso tenham sugestões ou criticas, entre em contato pelos nossos comentários ou pelo e-mail douglas.coach@gmail.com

Abraços e Sucesso Sempre,

Determinando sua Independência Pessoal e Profissional

Estamos entrando no mês da Independência do Brasil. Você sabe o que este evento significa realmente? Vamos consultar um pouco nossos livros de história e nossa memoria e ver como esse fato influência nossa própria independência.

Em um resumo a respeito desta fase de nosso país, a Independência representou a libertação do Brasil das “correntes” que o império Portugues representava. Quando chamado a retornar ao seu país de origem, Dom Pedro I se recusou veementemente e tomou uma série de atitudes que visavam conquistar a Independência Brasileira, oferecendo ao Brasil uma autonomia politica, deixando de ser apenas mais uma colônia portuguesa.

Com esta pequena introdução, chega o momento de nossa própria independência. Inicio este artigo com um questionamento: O que você esta fazendo hoje, para conquistar sua independência pessoal e profissional? Para termos a resposta a este questionamento, é necessário que antes tomemos conhecimento do que nos prende realmente. Faça uma análise sobre sua vida atual, e tente encontrar os elementos que impedem você de avançar rumo ao sucesso que todos nós merecemos.

Existem muitos elementos que podem atrasar ou refrear nossa conquista da independência. Desde uma simples zona de conforto, no qual nos habituamos a viver, como até mesmo processos exteriores, que por algum motivo, e de alguma forma, deixamos que entrem e tomem conta de nossas vidas. Mas um ponto importante que precisamos relevar, é que seja qual for o motivo que nos impeça, nós somos os únicos responsáveis por sua influência.

Isso ocorre quando permitimos viver em uma zona de conforto, criada por nossa própria vontade, ou quando deixamos que nossa vida seja dirigida por outras pessoas, que podem ser familiares, amigos, “chefes”, ou qualquer outra forma de contato social e profissional que por ventura venhamos a possuir. Mas seja qual for o motivo, tudo se dirige a um unico lugar, nossa total falta de controle sobre a vida que vivemos, o desgosto de não estar realizando nossos sonhos e a desventura de ter que acordar todos os dias e viver uma mesma rotina fracassada e desmotivada. Posso estar sendo um pouco duro nas palavras, mas tenho este direito por já ter vivido esta mesma situação, por já ter deixado que meus planos e meus sonhos ficassem apenas como pesos sobre o travesseiro, a cada nova noite em que tentava repousar o corpo, mas a alma se mantinha inquieta e fervorosa. Mas como testemunha desta fase em minha própria vida, sou também uma prova viva de que podemos fazer uma revolução interna, e buscar nosso aprendizado e novas conquistas em nossa vida pessoal e profissional. Vamos ver como isso pode ser possivel.

O primeiro passo para começar uma mudança interior, e conquistar nossa independência, é ter acesa em nosso peito a chama da vontade e do desejo de progresso. Enquanto não colocarmos esta mudança como uma prioridade em nossa vida, continuaremos a deixar que o “conforto”, e as “influências externas” prejudiquem nossa caminhada.

Poderiamos iniciar este pequeno processo de mudança, com um simples questionamento, mas que deve ser respondido com muita sinceridade e calma:

O que significa Independência para Você? Descreva exatamente o que representa para você:

  • Independência Pessoal:
  • Independência Profissional:

Este simples questionamento irá gerar o principio de nosso objetivo hoje, o de buscar nossa propria independência. Tendo este objetivo a vista, através das respostas dadas as perguntas, poderemos então traçar uma série de questionamentos que ajudarão a definir de que forma iremos começar a Conquista de nossa Independência.

Vamos partir para uma série de questionamentos que nos farão refletir um pouco sobre nossa atual situação, e qual é o nosso desejo de futuro.

  • O que você esta fazendo, hoje, para conquistar sua independência pessoal?
  • Existe algo, hoje, que esta impedindo você de alcançar sua indepemdência pessoal?
  • Se sim, o que você pode fazer para que este impedimento deixe de existir?
  • Você é o unico responsável por realizar estas ações em busca de sua independência pessoal?
  • Se você não for o único responsável, o que você pode fazer para que se torne unico responsavel por esta mudança em sua vida?
  • Qual deve ser o seu primeiro passo, para dar inicio a Conquista de sua Independência Pessoal?

Estas questões serão utilizadas novamente, na questão de sua independência profissional. Para facilitar, vamos verificar estes questionamentos a seguir:

  • O que você esta fazendo, hoje, para conquistar sua independência profissional?
  • Existe algo, hoje, que esta impedindo você de alcançar sua indepemdência profissional?
  • Se sim, o que você pode fazer para que este impedimento deixe de existir?
  • Você é o unico responsável por realizar estas ações em busca de sua independência profissional?
  • Se você não for o único responsável, o que você pode fazer para que se torne unico responsavel por esta mudança em sua vida?
  • Qual deve ser o seu primeiro passo, para dar inicio a Conquista de sua Independência profissional?

A partir destes dois grupos de questionamentos, teremos então algumas respostas que utilizaremos para refletir: A nossa Independência Pessoal e Profissional é importante? Se ela é importante, o que falta realmente, para que tomemos uma iniciativa para obte-la? Este é o nosso primeiro passo na busca de nossa independencia. Percebermos que a mudança deve partir de nós mesmos, e que se ficarmos apenas aceitando o que a vida nos empurra, nunca passaremos de colonias, onde todos podem opinar e decidir pelo rumo que tomaremos.

Caso você tenha gostado deste artigo, e deseje maiores informações sobre como o Coaching pode mudar sua vida e lhe trazer a Independe^ncia Pessoal e Profissional, entre em contato com nossa equipe pelo e-mail douglas.coach@gmail.com e solicite uma análise sobre sua atual situação, e o que você espera para o futuro de sua vida. Vamos todos juntos em busca de nossa Independencia, nossa Liberdade e do Sucesso que nos aguarda.

Abraços e Sucesso,

#Autoconfiança – Descubra o seu Poder Interior

Uma das características principais das pessoas que não possuem confiança própria, é a de não acreditarem em si mesmos. Todos nós nascemos com um poder imenso, de acreditar e realizar o impossível quando assim se faz necessário, mas conforme vamos crescendo e assumindo uma personalidade mais adulta, vamos racionando este nosso poder, deixando de acreditar no impossível que pode ser possível, e acabamos entrando em um circulo vicioso, estamos desenvolvendo nossa “zona de conforto”.

A zona de conforto é o primeiro sinal de que nossa confiança esta abalada. É como se estivéssemos aceitando o fato de que não podemos fazer nada para mudar nossa vida, e então simplesmente esperamos que algo aconteça, e por mais irônico que possa ser, quando chegamos a este estagio, então sim estamos esperando por algo que é impossível.

Quando deixamos de acreditar que podemos realizar o impossível, e apenas esperamos que algo mude nossa vida, ai sim, estamos apostando no impossível.

Mas o que podemos fazer, quando percebemos que já estamos na zona de conforto?

O primeiro passo é se movimentar. Neste ponto, seguimos uma antiga lei da física – “Qualquer corpo permanece no estado de repouso ou de movimento retilíneo uniforme se a resultante das forças que atuam sobre esse corpo for nula – Newton” – Ou seja, se estamos em uma zona de conforto, e não fizermos nada, continuaremos na mesma zona de conforto. Existem pessoas que conseguem permanecer desta forma por anos seguidos, sem nenhuma intenção de realizar algo de novo. Este “não fazer nada” pode provocar reações prejudiciais em nossa vida pessoal e profissional. Pode e vai deteriorando nosso sentimento de auto-estima, de autoconfiança e de amor próprio, sentimentos necessários para que possamos dar um real sentindo em nossa vida.

Usar nosso poder interno, é um processo que requer prática constante. É como iniciar um processo de exercícios físicos, onde iremos sentir os benefícios após um período de tempo, e a cada dia este beneficio e o rendimento tende a melhorar. e da mesma forma que os exercícios físicos, ele deve ser iniciado com muita calma, com doses pequenas e diárias de treinamento constante.

Você pode começar a realizar este processo hoje mesmo, bastando para isso tomar uma resolução em sua vida:

Você deseja sair da zona de conforto?

Se você tiver plena certeza de sua resposta positiva em relação a este questionamento, então você esta no momento certo para iniciar. E para começar, é muito simples:

Comece realizando uma faxina em sua vida pessoal. A idéia inicial, é você fazer uma faxina física. Se lembra daquela papelada, que esta toda desordenada, sobre a sua mesa de trabalho, ou “guardada” em alguma gaveta? Ou de suas roupas, todas guardadas, onde você realmente usa apenas algumas, e as vezes nem se lembra mais de possuir alguma peça especifica? Então, o primeiro passo é se levantar de onde você está, e aproveitar para organizar seus documentos, suas roupas, ou qualquer outra coisa que você há tempos não se preocupa em arrumar.

Este procedimento tem como objetivo, iniciar um movimento junto a você, e seguindo a lei de Newton citada acima, um leve iniciar de movimento, poderá fazer com que o mesmo se torne maior e constante. Fazer esta visita em seu passado, organizando e limpando alguns setores de sua vida, lhe mostrará a importância que você tem por si mesmo, resgatando aos poucos um sentimento de amor-próprio que a tempos você não sentia.

Vamos então começar hoje mesmo. Acredite no seu poder interior e saia da zona de conforto.

Abraços e Sucesso Sempre,

Seus comentários podem nos ajudar a melhorar e oferecer um conteúdo mais direcionado. Ajude-nos a fazer deste espaço, um local onde as suas dúvidas podem encontrar uma solução.

Você está preparado para enfrentar a morte?

Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida…
Um dia, quando os funcionários chegaram para trabalhar, encontraram na portaria um cartaz enorme, no qual estava escrito:
“Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida na Empresa. Você está convidado para o velório na quadra de esportes”.
No início, todos se entristeceram com a morte de alguém, mas depois de algum tempo, ficaram curiosos para saber quem estava atrapalhando sua vida e bloqueando seu crescimento na empresa. A agitação na quadra de esportes era tão grande, que foi preciso chamar os seguranças para organizar a fila do velório. Conforme as pessoas iam se aproximando do caixão, a excitação aumentava:
– Quem será que estava atrapalhando o meu progresso ?
– Ainda bem que esse infeliz morreu !
Um a um, os funcionários, agitados, se aproximavam do caixão, olhavam pelo visor do caixão a fim de reconhecer o defunto, engoliam em seco e saiam de cabeça abaixada, sem nada falar uns com os outros. Ficavam no mais absoluto silêncio, como se tivessem sido atingidos no fundo da alma e dirigiam-se para suas salas. Todos, muito curiosos mantinham-se na fila até chegar a sua vez de verificar quem estava no caixão e que tinha atrapalhado tanto a cada um deles.
A pergunta ecoava na mente de todos: “Quem está nesse caixão”?
No visor do caixão havia um espelho e cada um via a si mesmo… Só existe uma pessoa capaz de limitar seu crescimento: VOCÊ MESMO! Você é a única pessoa que pode fazer a revolução de sua vida. Você é a única pessoa que pode prejudicar a sua vida. Você é a única pessoa que pode ajudar a si mesmo. “SUA VIDA NÃO MUDA QUANDO SEU CHEFE MUDA, QUANDO SUA EMPRESA MUDA, QUANDO SEUS PAIS MUDAM, QUANDO SEU(SUA) NAMORADO(A) MUDA. SUA VIDA MUDA… QUANDO VOCÊ MUDA! VOCÊ É O ÚNICO RESPONSÁVEL POR ELA.”

O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos e seus atos. A maneira como você encara a vida é que faz toda diferença. A vida muda, quando “você muda”.

Luís Fernando Veríssimo

A vida Muda, quando “Você Muda”

Ouvi esta parábola a muito muito tempo atrás, em um treinamento motivacional em uma empresa de informática onde eu era um colaborador. O que sempre mais me marcou neste texto, é a sua frase final, que segue como título deste parágrafo.

É muito curioso, quando eu como Coach, observo em vários de meus clientes a vontade de mudar de vida, mas quando percebem que para isso irão precisar se movimentar, executar mudanças em sí mesmos, acabam por desanimar ou desistir do processo. As pessoas em sua grande maioria acham que a vida pode melhorar quando as mudanças ocorrem ao seu redor, mas nunca aceitam que devem realizar antes a mudança a partir do centro dos problemas e situações, que neste caso, é o próprio individuo.

O Life Coaching é um processo de mudança, e mais do que isso, é também um processo de mudança pessoal e interior. Na teoria, todos os indivíduos são capazes de promover mudanças internas, mas quando partimos para a prática de um processo de Coaching, é visível a resistência que existe dentro de cada individuo para realizar e promover essas mudanças.

As pessoas tem o costume de reclamar de que tudo esta errado, de que as situações não melhoram, mas não percebem que as situações não se alteram sozinhas, e que sempre é necessário um certo esforço, é necessário sair da zona de conforto, e promover as mudanças sem se importar com a situação ao redor, pois quando você promove a melhoria em sí mesmo, acaba mudando todo o ambiente que lhe cerca.

Apesar de muitas pessoas não gostarem de Paulo Coelho como escritor, tenho um certo apreço por seus livros, e um livro que me chama muito a atenção, é o livro “O Alquimista”, que narra a saga de um individuo buscando a mudança de sua vida, buscando realizar seu sonho inicial de encontrar um tesouro. Um dos conceitos mais profundos que encontro neste livro, é referente ao trabalho do alquimista, que fica em seu pequeno espaço, entre suas fervuras e vapores, tentando transmutar o chumbo em ouro. Vejamos um pequeno trecho:

Finalmente, quando começaram a cruzar uma montanha que se estendia por todo o horizonte, o Alquimista disse que faltavam dois dias para chegarem até às Pirâmides.
– Se vamos nos separar logo – respondeu o rapaz – me ensine Alquimia.
– Você já sabe. É penetrar na Alma do Mundo, e descobrir o tesouro que ela reservou para nós.
– Não é isto que quero saber. Falo de transformar chumbo em ouro.
O Alquimista respeitou o silêncio do deserto, e só respondeu ao rapaz quando pararam para comer.
– Tudo no Universo evolui – disse ele. – E para os sábios, o ouro é o metal mais evoluído. Não pergunte porquê; não sei. Sei apenas que a Tradição está sempre certa. “Os homens é que não interpretaram bem as palavras dos sábios. E ao invés de símbolo de evolução, o ouro passou a ser o sinal das guerras.
– As coisas falam muitas linguagens – disse o rapaz. – Vi quando o relincho de camelo era apenas um relincho, depois passou a ser sinal de perigo, e finalmente tornou-se de novo um relincho. Mas calou-se. O Alquimista devia saber tudo aquilo.
– Conheci verdadeiros alquimistas – continuou. – Se trancavam no laboratório e tentavam evoluir como o ouro; descobriam a Pedra Filosofal. Porque haviam entendido que quando uma coisa evolui, evolui também tudo que está a sua volta. “Outros conseguiram a pedra por acidente. Já tinham o dom, suas almas estavam mais despertas que a das outras pessoas. Mas estes não contam, porque são raros. “Outros, enfim, buscavam apenas o ouro. Estes jamais descobriram o segredo. Esqueceram-se de que o chumbo, o cobre, o ferro, também têm sua Lenda Pessoal para cumprir. Quem interfere na Lenda Pessoal dos outros, nunca descobrirá a sua”.
As palavras do Alquimista soaram como uma maldição. Ele abaixou-se e pegou uma concha no solo do deserto.
– Isto um dia já foi um mar – disse.
– Já tinha reparado – respondeu o rapaz. O Alquimista pediu ao rapaz para colocar a concha no ouvido. Ele tinha feito isto muitas vezes quando era criança, e escutou o barulho do mar.
– O mar continua dentro desta concha, porque é sua Lenda Pessoal. E jamais a abandonará, até que o deserto se cubra novamente de água.
Depois montaram em seus cavalos, e seguiram em direção às Pirâmides do
Egito.

O Coaching pode ser considerado hoje a verdadeira Pedra Filosofal, e suas técnicas o grande segredo do Elixir da Longa Vida. Ele propõem mudanças interiores, para que você possa ir em busca de seus objetivos e crescer, pessoal, profissional, psicológica e espiritualmente. mas tudo isso depende unicamente de sua força de vontade em mudar, de você tomar as rédeas de sua vida hoje, e conduzi-la para um patamar mais alto, com uma maior qualidade de vida, e onde todos os tesouros que você procura, poderá ser encontrado.

O intuito deste artigo, é promover a partir de hoje, uma mudança radical em nossos modos de vida. Convido você, a juntos, matarmos este ser individualista, egoísta e não aberto as mudanças, e deixar que nasça um novo individuo, que seja capaz de mudar e buscar seu próprio crescimento, sem dependencias de fatores exteriores, e desta forma, promover não só a mudança de nós mesmos, mas promover a mudança de nosso ambiente, e até mesmo de nosso mundo em uma escala maior.

As pessoas que que são loucas o suficiente para pensar que podem mudar o mundo, são as que fazem – Steve Jobs (co-fundador da apple)

Abraços e Sucesso Sempre.

Seus comentários podem nos ajudar a melhorar e oferecer um conteúdo mais direcionado. Ajude-nos a fazer deste espaço, um local onde as suas dúvidas podem encontrar uma solução.

Modelo 10 – Ensaio Mental

O Ensaio Mental é um processo de coaching muito utilizado para preparar o indivíduo em situações que ele sinta certa dificuldade em agir. Pessoas com dificuldade em falar em público, pessoas que não consegue conversar com seus superiores e parceiros, preparação para entrevistas de emprego e resolução de conflitos. O processo se resume em criar um cenário onde o individuo possa “treinar” e “ensaiar” suas atitudes e sua performance, em um ambiente controlado e aberto ao feedback. A grande maioria dos medos que possuímos é por falta de conhecimento nos resultados que teremos, neste aspecto, o Ensaio Mental nos ajuda a obter um resultado, tanto favorável ou não, de diversas situações que passamos diariamente. Ao treinar nossas respostas a estas situações, conseguimos nos preparar para enfrentar o desafio de forma real, com uma maior bagagem, e apresentando desta forma um melhor resultado.

O processo pode ser filmado ou não, de acordo com a opção do coachee, com o processo de filmagem, ele pode avaliar a sí mesmo, percebendo os pontos que podem ser melhorados e explorados de uma melhor forma.

O processo segue 5 passos que veremos a seguir:

Ensaio Mental:

Primeiro Passo: Visualize o que você quer mudar ou melhorar. (tente visualizar a situação como ela é hoje, se atente aos detalhes e em como você se sente quando tal situação ocorre)

Imagine uma grande tela mental, onde você possa visualizar a cena ocorrendo, se coloque apenas no lugar de observador, atente a cada detalhe, sinta cada emoção, como se você estivesse assistindo um filme, onde você é o protagonista principal. Se a situação envolve outras pessoas, coloque as mesmas em seus lugares, análise suas reações como se a cena estivesse mesmo ocorrendo. Quanto mais você visualizar esta cena, mais fácil será para dar prosseguimento ao processo. Se possível, descreva a cena em um papel, como se fosse um roteiro.

Segundo Passo: Decida o que você quer mudar ou melhorar na cena que você criou.

Neste momento, revise seu roteiro e faça todas as modificações que você acha que podem melhorar seu desempenho. Refaça suas falas, altere os sentimentos vividos, refaça o dialogo da melhor forma possível. Aqui, você tem total liberdade para alterar e modificar, pois você é o roteirista desta cena, caso facilite seu trabalho de revisão, tente imaginar o que outras pessoas fariam em seu lugar, utilize para isso pessoas que você admira, conhecidas ou não.

Terceiro Passo: Edite o filme alterando tudo o que você decidiu.

Reviva novamente o filme em sua tela mental, faça-o ocorrer da forma como você modificou, aqui você ainda continua como espectador, veja a cena conforme você modificou e anote o efeito das mudanças em seu roteiro. Lembre-se sempre de se atentar aos detalhes, revisando cada mudança e como ela interferiu no decorrer da cena.

Quarto Passo: Entre no filme e se transforme nessa pessoa.

Este é o momento principal de todo o processo. Em sua tela mental, repasse novamente o filme, mas agora saindo do papel de espectador e vivenciando realmente a cena, sinta cada emoção que a cena transmite, veja como seu corpo e sua mente reage estando no papel de protagonista. Haja de forma diferente e guarde todos os sentimentos. Após esta etapa terminar, é importante você passar para seu roteiro todas as sensações que sentiu no momento em que estava vivenciando a cena.

Quinto Passo: Crie uma conexão com o futuro.

Agora que você á tem um extenso material para se guiar, que inclui seu roteiro e suas sensações, pense em seu futuro próximo, quando esta cena poderá realmente acontecer. Pense em como você quer que a cena termine realmente e como você poderá manter o seu novo comportamento ou atitude para alcançar o resultado que você deseja. Esta conexão fará com que você se sinta preparado para quando isso realmente acontecer.

O Ensaio Mental é uma ferramenta importante, pois você pode “prever” suas reações no futuro, e corrigir eventuais desvios que possam ocorrer. Este processo é muito utilizado em teatro, onde os atores ensaiam durante semanas para poder apresentar um espetaculo real ao seu público. Todo treino é benéfico para que possamos alcançar nossos resultados, e quando nós podemos treinar em um ambiente tranquilo e controlado, a cena real se torna muito mais simples de ser executada.

Espero que tenham gostado deste roteiro de trabalho, e caso surja alguma dúvida, entre em contato com nossa equipe através de nossos comentários. Um detalhe importante a respeito do Ensaio Mental, é o fato dele ser uma ferramenta muito melhor explorada de forma presenciai, mas é possível também ser feito de forma online, bastando para isso você estar em um lugar tranqüilo, onde possa se concentrar e realizar os passos sem ser incomodado.

Abraços e Até breve com um novo processo de Coaching Online.

Quem Mexeu no meu Queijo

Fantástico video sobre o livro Quem Mexeu no Meu Queijo. Fala sobre Zona de Conforto e em como Enfrentar mudanças.

Promessas de Ano Novo – E agora? O que fazer?

Voltando novamente a este assunto, muito comum nas passagens de ano, vou descrever um conhecido método para a realização das promessas de Fim de Ano.

Já falamos em artigos anteriores sobre estas promessas, e sempre que um ano termina, e outro se inicia, fazemos nossas reflexões interiores, e decidimos, para nós mesmos, realizar grandes mudanças no novo ano que se inicia. mas nem sempre isso ocorre realmente, e as promessas se perdem antes mesmo da chegada do Carnaval.

A maior dificuldade enfrentada em realizar nossas promessas de fim de ano, e nossa própria falta de motivação e entusiasmo, aliada a rotina do dia a dia, que volta em pouco tempo, após os dias festivos.

Para que isso não aconteça, precisamos antes de tudo, focar nossa atenção em mudanças especificas, e não dispersar nossa energia em dezenas de mudanças aleatórias. Precisamos também, ao focar nossa mudança, criar um novo hábito em nossa vida. Muitas pessoas querem que tudo aconteça de uma hora para outra, mas não é assim que funciona. Se queremos eliminar um hábito ruim, devemos substituir por um hábito novo e mais saudável. Para isso, existe um método muito eficaz para criarmos novos hábitos saudáveis em nossa vida, auxiliando assim o processo de mudança que nos propomos ao final de cada ano.

Método dos Seis Passos

Este método, como seu próprio nome já indica, consiste em 6 passos, para que você consiga realizar 6 grandes mudanças no período de 1 ano.

Antes de mais nada, você precisa escolher 6 hábitos, vícios ou coisas que deseja mudar neste próximo ano. Coloque estes seis elementos em uma ordem de importância, do mais importante para o menos importante. Não se preocupe com a dificuldade, mas tenha em mente esta lista deverá ser mantida até o final do programa.

Com a lista pronta, vamos iniciar o processo:

  1. Peque o primeiro item da sua lista, será a primeira mudança que iremos realizar em nossa vida.
  2. Assuma publicamente esta sua decisão. Avise seus amigos e familiares que tem um prazo de 2 meses para mudar este hábito, ou realizar esta mudança em sua rotina. – Neste caso, é importante contarmos com a ajuda da “publicidade” para que tenhamos coragem de continuar com o processo até o final. Se mantivermos a decisão somente para nós, é muito fácil de desistir antes de conseguirmos.
  3. Detalhar a sua nova rotina em 8 passos, sendo do mais fácil para o mais difícil. Cada um desses passos deverá ser feito por uma semana. Vamos tomar como exemplo, que você deseje adquirir um novo hábito em sua vida, de ler mais livros. os oito passos poderiam ser definidos da seguinte forma:
      • 1° Semana: Escolher um livro para a leitura, escolher um local onde possa se concentrar e reservar 15 minutos por dia para se dedicar a leitura deste livro. Procure sempre estabelecer um horário para seu novo hábito.
      • 2ª até 8ª Semana: Aumentar o tempo de leitura em 5 minutos a cada nova semana. Desta forma, quando chegar na 8ª semana, você estará lendo por cerca de 50 minutos por dia, o que é um tempo adequado de leitura.
  4. Defina um “Gatilho” para executar sua nova rotina. Este gatilho deve ser algo com o que você já esteja acostumado a fazer, como por exemplo, após assistir ao jornal quando chega do trabalho, após o banho, antes de dormir, entre muitas outras opções.
  5. De o seu primeiro passo, durante uma semana, sempre após o gatilho determinado no passo anterior. Comente sobre o seu progresso junto aos seus amigos e familiares, o apoio deles será de grande ajuda nesta etapa do processo.
  6. Semana após semana, vá progredindo para passos mais difíceis. Mesmo que sinta a vontade de avançar mais depressa, não o faça. Lembre-se que você esta criando uma nova rotina em sua vida.. Repita esta tarefa até chegar às 8 semanas.

Após estes dois meses, seu novo hábito já esta incorporado a sua rotina, e desta forma, você pode passar para o segundo item de sua lista, e realizar as mudanças que determinou para si mesmo no inicio do ano.

Que tal começarmos hoje mesmo a realizar nossas promessas de fim de ano? Um passo de cada vez? Tenha plena certeza que você pode realizar qualquer desejo seu, e que basta dar o primeiro passo, e acreditar que pode chegar ao final.

Aproveite nosso blog para deixar seus comentários, sugestões, criticas e experiências a respeito deste processo.

Sucesso para Todos…

Como Fazer – Desafiando sua Zona de Conforto

Começo de Ano, já estamos em 2010, e o tempo não para. Uma pessoa que deseja alcançar o seu sucesso pessoal e profissional sabe muito bem disso. Então, para começarmos o ano com uma carga nova de energia, e realizar nossas mudanças, vamos juntos iniciar uma série de exercícios para aprimorar nossa percepção, e desafiar a tão famigerada indesejada “zona de conforto”

Já falamos aqui sobre a zona de conforto, como pode ser visto neste artigo, e agora, vamos aprender algumas técnicas que desafiam o nosso conforto. Todas as segundas feiras, estarei colocando aqui no blog, um novo exercício para desafiar a nossa zona de conforto. Serão sempre exercícios simples, que qualquer pessoa com um pouco mais de empenho pessoal pode realizar sem a menor dificuldade, pois não necessita de nenhum aparato externo, apenas a sua própria vontade em mudar a sua forma de viver, aproveitando melhor os momentos, e fazendo a diferença entre as pessoas a sua volta.

No começo, os exercícios podem parecer tolos e sem sentido, mas se você deseja realmente encontrar um novo rumo para seguir em sua vida, aconselho que leve a serio, por mais insignificante que possa parecer.

Este primeiro exercício, é um dos que você pode achar irrelevante, ou insignificante, mas é uma poderosa ferramenta de negociação, inspiração e domínio de ambiente. A duração deste exercício deve ser de no mínimo 2 dias:

Encarando as Pessoas nos Olhos (2 dias)

Pelos próximos dois dias, pratique olhar nos olhos das pessoas, sejam elas pessoas próximas a você, de seu convívio pessoal e social, ou até mesmo de pessoas estranhas a você. Não se preocupe em piscar, é algo natural, mas se preocupe sempre em focar os olhos de quem esta interagindo com você. Este exercício se torna extremamente difícil, quando estamos interagindo com alguém, como por exemplo em uma conversa, pois tendemos a olhar para a boca de nosso interlocutor quando ele fala, e olhar para todos os lados quando nós falamos. Isso mostra um despreparo de nossa conversa, e faz com que passemos por despercebidos na maioria das vezes.

Quando, em uma conversa, focalizamos o olhar de nosso interlocutor, é como se marcássemos nossa presença ali, naquele momento, desta forma, impondo nossas opiniões para que sejam aceitas e analisadas (veja aqui uma matéria sobre este assunto no estadão.com).

A seguir, algumas dicas para praticar este primeiro exercício:

  1. Focalize um dos olhos do interlocutor e não deixe de piscar, para não passar por um psicopata insano;
  2. Durante uma conversa, mantenha sempre o contato “olho no olho” quando você fala e quando você escuta. É uma tarefa bem dificil, mas com o tempo você se acostuma e começa a agir naturalmente;
  3. Pratique sempre com pessoas maiores ou mais confiantes que você. (Seu chefe, Sócios, Investidores, Gerentes de seu Banco, Pais, etc…)
  4. Se você fizer isso na rua, com pessoas desconhecidas, pode acabar passando por situações constrangedoras, como por exemplo um desconhecido lhe interrogar do porque olha tanto. Para estas situações, use sempre o bom senso, de um sorriso e diga: “– Desculpe-me, achei que você fosse um velho amigo meu.” Despesa-se e vá embora.

Com estas dicas, fica mais fácil você começar a desafiar a sua zona de conforto. Agora só falta mesmo começar a praticar. O que você esta esperando???

Espero que este artigo tenha sido de agrado de todos, e até segunda feira que vem, com um novo artigo sobre como desafiar sua zona de conforto. Qualquer dúvida, comentário, critica ou sugestão, estejam sempre a vontade para utilizar nosso espaço de comentários, ou envie um e-mail para douglas.coach@gmail.com.

Abraços e Sucesso Sempre…

Resgate a Criança Interior

Hoje eu gostaria de falar sobre o seu Eu Criança!

É claro que, quando falo da criança interior, existe muito a ser dito. Existem muitas facetas dessa criança que mora dentro de você e, acredite, muitas delas precisam ser urgentemente curadas.

Mas neste artigo quero falar da “Criança Sagrada”, porque sem ela nos tornamos meros homens-robô cumpridores de tarefas. Sem ela a vida se torna chata e monótona e nada parece nos interessar de verdade.

Um dia você foi pequenininho, lembra? E tudo ao seu redor era novo, grande e encantador. Talvez até mesmo assustador!

Naquele tempo, as coisas que hoje você acha pequenas eram os “grandes eventos” do seu dia-a-dia: a gota de água escorrendo na janela, o feijão que magicamente brotou do algodão, o gosto horrendo daquele óleo de fígado de bacalhau (sorte sua se não teve que passar por isso!). Naquele tempo, antes de ter desaprendido a viver naturalmente, você era simplesmente… você. É claro que o mundo parecia um infinito campo de descobertas, cheio de mistérios, mas era exatamente a presença dos mistérios que tornava tudo tão interessante e divertido.

Você cresceu, e foi aprendendo a nomear tudo, a entender tudo e os mistérios foram sendo desvendados. Você foi se sentindo mais esperto ao dominar o mundo, as contas, as palavras, a biologia, etc, mas o que aconteceu é que você foi se perdendo daquela magia. Deixou de perceber os círculos que o vento traçava na superfície de um lago solitário. Deixou de perceber o som das asas dos beija-flores, deixou de perceber que, agora mesmo, enquanto você lê estas palavras na tela do seu computador, infinitas estrelas brilham em um inexplicável universo ao seu redor. Você deixou de perceber o quanto tudo era sagrado. Você deixou de sorrir para as pessoas, de pisar na grama, de acreditar e de chorar. Talvez você tenha até mesmo deixado de amar, com medo de que não correspondessem ao seu amor.

Sem a presença da criança sagrada, a vida vai ficando cada vez mais chata, cinza e sem graça. Mas, acredite, não precisa ser assim. Você pode agora mesmo fazer como antes, e sair por aí olhando as pessoas nos olhos e sendo exatamente quem você é sem se importar tanto com o que elas pensam de você. Mas para isso você precisa reencontrar essa criança e trazê-la para bem pertinho de você. Ela não está longe… bastam três passos! Eu convido você a dar cada um deles comigo, agora. Está pronto??? Então vamos lá!

1º) O primeiro passo é: DIVERTIR-SE MAIS!

Entenda, você não está aqui, no planeta, para fazer tudo certo. Só o que você precisa é viver as experiências que a vida lhe trouxer e aprender com elas! Ora, toda criança sabe disso!!! As crianças brincam, e assim aprendem um monte de coisas. Já nós, adultos, levamos tudo tão a sério, e queremos ser sempre tão perfeitos, que tiramos toda a graça da vida. Preste atenção: Quando você estiver indo para uma reunião muito importante, ou para uma entrevista de emprego, ou para um primeiro encontro com alguém por quem você esteja interessado; faça de conta de que tudo se trata de uma brincadeira, e que o que realmente importa é a experiência e o aprendizado, “e não o resultado”. Relaxe, seja simplesmente você mesmo e tente se divertir. Abra mão do peso, porque quando carrega esse peso nas suas costas você faz as coisas com muito mais dificuldade do que faria se estivesse leve e livre para simplesmente fluir com a vida.

Ok? Então vamos para o passo número 2… que é….

2º) TER A CORAGEM DE ARRISCAR!

Eu sei, esse é um passo um pouco mais avançado. Estamos tão acostumados a buscar segurança que contratamos o medo como nosso guia para as decisões de nossa vida. Mas que sentido faz viver uma vida conduzida pelo medo? Temos medo de errar, medo de nos frustrar, medo do futuro, medo até mesmo de acertar… Mas a verdade é que não há vida sem risco. Não mesmo! Sem risco a vida é apenas uma repetição monótona daquilo que já conhecemos. Você precisa sair do curso de vez em quando, escolher um caminho diferente, provar novos sabores, agir de maneiras diferentes. Arrisque dizer o que sente, ir atrás do que quer, acreditar que é capaz! Certa vez li em um livro algo assim: “Loucura é querer obter resultados diferentes fazendo sempre a mesma coisa”. É verdade. Olhe para a sua vida! Ela é resultado daquilo que você sempre fez. Se quiser mudar algo nela, trate de arriscar fazer algo diferente!

Pronto para o último passo???

3º) AMAR …

Simples assim. Quantas vezes ficamos presos em bifurcações sem saber o que decidir? E nessa indecisão acabamos causando dor. Machucamos a nós mesmos e aqueles que estão ao nosso redor. Mas as coisas ficam mais simples quando nos dispomos a simplesmente amar. Talvez você possa simplesmente se perguntar: “Qual é a decisão mais amorosa? ” Entenda que uma decisão amorosa sempre acaba sendo a melhor para todos os envolvidos, mesmo que não pareça ser assim.

É incrível a enorme quantidade de força que recebemos quando começamos a exercitar isso em nossa vida. De repente descobrimos que não precisamos mais ficar paralisados frente a cada escolha, a cada bifurcação em nosso caminho de vida. Nos movemos, e no movimento aprendemos, crescemos e nos sentimos novamente vivos. A Criança Sagrada desperta de novo em nossa vida, e o mundo se torna subitamente cheio de mistérios a serem desvendados. Tenha certeza, a vida estará a seu lado!

Agora é com você!

Lembre-se: São apenas três passos: D.A.A. (Divertir-se, Arriscar, Amar).

Até breve!!!!

Fonte: Zephyrus Blog

Mudando de Atitude – (Zona de Conforto)

Recebi um comentário de uma leitora, pedindo para esclarecer um pouco mais esta questão de mudança de atitude. Vamos ver o comentário dela:

Achei interessante seu artigo, como as pessoas já estão acostumadas, não eh facil mudar de comportamento, leva um tempo para se adaptar as mudanças, caso a pessoa decid mudar. Gostaria que vc escrevesse um artigo sobre o porque das pessoas se acostumarem a situação em q se está, pq a maioria das pessoas encontram tantos obstaculos em se superarem cada vez mais. Não sei se entendeu bem o que eu tentrei dizer, mais eh isso. Beijos

Bem, já falamos anteriormente, através de um texto retirado do portal Terra, sobre a Zona de Conforto, Mas agora, vou tentar escrever sendo um pouco mais especifico, voltando minhas atenções as questões levantadas no comentário.

“Porque as pessoas se acostumam com a situação em que se está, e porque a maioria das pessoas encontram tantos obstáculos em se superarem cada vez mais.”

200142684-001Após entendermos a questão levantada, vamos entender um pouco do que estamos falando. O assunto em questão é mudança de Atitude, para conseguir sair de onde se encontra, superar os obstáculos que possam surgir a frente, e se tornar vitorioso(a), na conquista de seus objetivos.

Se acostumar com uma situação ruim, é muito fácil para a maioria das pessoas que conhecemos, principalmente pelo motivo de vivermos num país onde a situação ruim já se tornou corriqueira. Não vamos aqui falar que as pesoas se acostumam com as situações ruins, e permanecem nela, por culpa do pais, e depois cruzar os braços e esperar o país melhorar. Na verdade, recebemos sim grande influência do meio onde vivemos, e desta forma, nos adaptamos a este meio, na forma de agir, e principalmente na forma de pensar. É muito mais fácil para um individuo aceitar o fato de que tem um emprego “mediocre”, mas que continua neste emprego por medo de conquistar novos mercados e um novo status. A mudança exige um pouco de coragem, na verdade, exige muita coragem.  A coragem de ser diferente, de remar contra a correnteza, a coragem principal de sonhar, e seguir um sonho.

Quando falamos de obstáculos na questão acima, na verdade, imagino eu que estes obstáculos surgem para que possamos aprender cada dia mais, e só devemos permitir os obstáculos que nós mesmo criamos, e de forma nenhuma usa-los como muleta, mas sim como um trampolim, agora o que acontece muito comumente, é o fato de que outras pessoas colocam obstáculos em nossa frente, e por medo de desafiar estas outras pessoas, recuamos. Perceba que é sempre muito comum, em meios sociais, dentro de uma empresa, quando um individuo, cansado de seu trabalho repetitivo, lança uma ideia inovadora, maluca ao extremo, de abrir seu prorpio negocio, em grande parte da situação, as pessoas ao redor irão criticar, irão fazer com que a pessoa desista de sua vontade, e aceite a situação em que se encontra. Isso acontece por um unico motivo. As pessoas acham que por não ter força e coragem suficiente para mudar, ninguem mais deve conseguir mudar ao lado dela. Isso acaba criando um circulo vicioso, e com o tempo, acaba se tornando uma realidade coletiva, e os poucos que ousam sonhar um pouco além dela, logo são arrastados para o turbilhão da massa novamente.

Um dos meus livros de cabeceira, é Ilusões, de Richard Bach, já comentei um pouco sobre ele neste blog, mas este livro fala exatamente desta situação, de você acreditar em seus sonhos e buscar ir atras do que acredita, sem se deixar contaminar pela coletividade ao redor. As pessoas sabem muito bem comentar sobre a vida de todas as outras pessoas, mas pecam em se esquecer que elas também têm uma vida, que deve ser sua principal fonte de concentração.

O Coaching possui ferramentas poderosas para mudanças de atitude, e basta um pequeno passo, para se iniciar a mais longa e proveitosa jornada de sua vida.

Muito Obrigado pela visita Danielle, e se caso tenha mais alguma pergunta a respeito, ou se quiser comentar novamente, seja sempre bem vinda. Abraços e sucesso a todos.

coaching2